A cidade

Prefeitura

:: Sobre o Prefeito de Laranjal Paulista – clique aqui

:: Sobre o Vice-Prefeito de Laranjal Paulista – clique aqui

:: Relação das Secretarias – clique aqui

História

A ocupação do Município se divide em urbana e rural. A primeira, no início do Século XVII, foi motivada pelos grupos tropeiros que rumavam a Sorocaba. Para os pousos eles se aconchegavam à beira do que chamavam de ribeirão dos laranjais e, por onde passavam, divulgavam que “a partir das suas acanhadas margens vislumbrava-se a existência de alongadas e férteis terras”, atraindo os primeiros pequenos agricultores.

Em 1884, seguindo o traçado da Estrada de Ferro Sorocabana e a ela se antecipando, aqui chegava Delfino de Mello. Como visionário que era adquiriu considerável gleba de terra e, para explorar comercialmente, construiu uma casa de pensão para abrigar os trabalhadores da Ferrovia. Em curto espaço de tempo o local despertou o interesse de famílias da região para outras atividades comerciais dando início ao núcleo urbano. Ainda em 1884 Delfino de Melo doou terreno para a construção de uma Capela na vila que, em 1886, tornar-se-ia o distrito Policial de Laranjal e com a primeira escola pública outras benfeitorias se juntariam: agencia postal, cartório de registro civil, a paróquia, telefone público, iluminação elétrica. Publicada a 10 de outubro de 1917, a Lei Estadual nº 1.555 criou o Município de Laranjal que, pelo Decreto Federal nº 14.334/1944, passou a chamar-se Laranjal Paulista.

Geografia

Área 386,763 km quadrados
Localização – Fica na depressão periférica paulista entre o Planalto Atlântico – região da capital – e o Planalto Ocidental – região de Botucatu.
Principal Via de Acesso – Rodovia Marechal Rondon
Hidrografia – Rios Tietê e Sorocaba e mais seis ribeirões e seis córregos
Tipo de solo – Policultura e em algumas partes condicionantes geológicos proporcionam a exploração de recursos minerais como areia, argila, brita, calcário empregados na construção civil.
Climatologia:
Temperatura média anual – 23,27°C
Precipitação pluviométrica – 1.257,0 mm.

Hidrografia

Rio Tietê
Rio Capivari
Rio Sorocaba

Agricultura

A policultura de café, algodão, feijão, milho já foi a base econômica do município. Em 1990 cedeu lugar à pecuária, com a cana-de-açúcar, houve algum incentivo a pequenos agricultores.

Economia

Atualmente a economia do município está voltada para avicultura, cerâmica e fabricação de brinquedos.

Turismo – FESTA DO PADROEIRO DA CIDADE

Festa de São João – Festa celebrada em louvor ao padroeiro da cidade, que dura de uma semana a dez dias, terminando no dia 24 de junho, dia de São João (feriado municipal). Neste dia, realiza-se uma procissão pelas ruas centrais do município, reunindo imagens de outros santos que representam as demais paróquias de Laranjal, tais como São Benedito, São Roque, Nossa Senhora Aparecida e vários outros. No fim da procissão é celebrada uma missa em louvor ao padroeiro, com uma grande queima de fogos ao seu encerramento. Na parte profana, barracas de entidades municipais são montadas ao redor do Largo São João, onde se situa a Igreja Matriz da cidade, as quais vendem bebidas, comidas tradicionais e artesanato a fim de arrecadar fundos. Também é montado um palco para a apresentação de grupos folclóricos e bandas contratadas pela comissão de festas para entreter os cidadãos e visitantes de outras localidades que sempre comparecem para prestigiar a festa. Todo dia 24 de junho, já pela manhã, tem início atividades que remetem às origens da Festa, tais como leilão de lenha, leitoa ensebada, pau de sebo, leilão de gado e demais prendas. Além disso, todo o entorno do Largo São João é decorado com bandeirinhas coloridas e também ocorre a quadrilha, geralmente formada por estudantes ou integrantes de grupos da terceira idade. A Festa já é realizada há mais de 100 anos e é a principal atração da cidade, sendo considerada um patrimônio cultural por muitos.

mapa_laranjal


SÍMBOLOS MUNICIPAIS

Os símbolos municipais de Laranjal Paulista  são instituídos por leis municipais. O Brasão e a Bandeira foram elaborados pelo Sr. João José da Silveira Campos – Prof. Tutu

Lei nº 1.130 de 28 de setembro de 1971 que dispõe sobre a criação da Bandeira de Laranjal Paulista. O prefeito a época era o Sr. Hermelindo Pillon e sancionou e promulgou esta lei que determina que:

(Artigo 1º) Fica oficialmente instituída a BANDEIRA DO MUNICÍPIO DE LARANJAL PAULISTA, confeccionada em tecido, com as seguintes características:

a) Será retangular, e seu comprimento de uma vez e meia a largura;
b) Terá três divisões perpendiculares e seus lados maiores, formando faixas;
c) As faixas que ficarem nas extremidades terão a cor azul e a faixa central, a cor branca;
d) Cada faixa lateral terá, em sua largura, 28 (vinte e oito) módulos sendo que a faixa central terá 34 (trinta e quatro) módulos;
e) O brasão do Município de Laranjal Paulista será inscrito, na parte central, ficando distante das linhas verticais, 3 (três) módulos de cada lado e equidistante das bordas superior e inferior;
f) O tamanho oficial é de 1,30m x 1,95m (um metro e trinta centímetros por um metro e noventa e cinco centímetros).

Bandeira Laranjal Paulista

Lei nº 301, de 23 de dezembro de 1959 que dispõe sobre a instituição do BRASÃO E ARMAS DO Município de Laranjal Paulista.

Elaboração do Brasão e Descrição Heráldica Oficial – Sr. João José da Silveira Campos – Prof. Tutu

SERVIENDO PATRIAE REX

  • Paira sobre o escudo de Laranjal Paulista, a coroa mural de cinco torres, prateada, com ameias douradas, símbolo da cidade. O verde e o amarelo foram emprestados da bandeira nacional; o vermelho e o preto da bandeira paulista. O azul e o branco lembram as cores da cidade. Em sinople (verde) e blau (azul), os dois campos do brasão simbolizam a coordenação dos esforços de duas grandes famílias: a nativa e a imigrante. No campo de sinople, figura de ouro: homenagem à Democracia, aos poderes constituídos, aos trabalhadores do Comércio, da Intelectualidade, das Artes e dos Esportes. O caduceu de Mercúrio ou Hermes, homônimo do prefeito da época, lembra a homenagem dos munícipes ao Prefeito e Vereadores.
  • Uma folha de Carvalho perpetua a inteligência da direção de nosso Estado: homenagem aos dirigentes de organizações públicas e particulares. O bastão, suporte das asas, reminiscência das corridas clássicas, preiteiam os esportistas, aqueles que dão a sociedade “a alma sã em um corpo são”.
  • Em cruz, sobre o bastão, a pena simboliza a dívida de gratidão que a municipalidade tem para com os intelectuais e para com aqueles que promovem o Ensino e a Educação em nossa Terra, tais como os patronos de nosso Grupo Escolar, de nosso Ginásio e de nosso Colégio São Vicente de Paulo.
  • A Flor de Lis, lembrando à realeza de quem serve a Pátria, imortaliza os artistas e as obras de arte desta cidade. A Flor de Lis foi tirada dos capitéis da igreja matriz para homenagear, no brasão, as autoridades religiosas e militares laranjalenses.
  • Três chaminés de ouro abrigam no campo de blau as imagens de nossa indústria, de nossas olarias e dos navios. Na indústria, nosso conterrâneo constrói a estabilidade do Município. A chaminé da olaria pereniza o ritmo acelerado das construções neste momento.
  • A chaminé dos navios presta homenagem aqueles, que atravessaram o Oceano para engrandecer nossa Terra. Das chaminés, as bordas em “goles” (vermelho), lembra-nos que Laranjal Paulista é célula do Estado Líder da Nação. A fumaça propala (prateada), caminhando para o céu, a glória das atividades laranjalenses.
  • Pelos lados do escudo, sobem ramos de café e algodão, lambrequins cruzando no começo dos ramos, sob os traços do lema. Representam o esforço conjugado dos Munícipes.
  • Estes ramos são os galardões com que a municipalidade coroa a fronte do herói que cultiva os campos de Laranjal Paulista.
  • Com um laço encarnado, os ramos, ao se cruzarem, lembram-nos a cruz de São João Batista, nosso padroeiro, que segundo as palavras da Bíblia, sendo Gladium ac Lúmen, espada de probidade e luz de sabedoria se apresenta como magnífico modelo para nós de Laranjal, na procura da glória de servir à Pátria, pois servindo à Pátria, o Laranjalense é Rei> Serviendo Patreae, Rex.

Brasão Laranjal Paulista

LEI N. 372 DE 18 DE MARÇO DE 1961 declara como Hino Oficial do Município a musica denominada “10 de Outubro” composição do senhor José Mandelli.  Promulgada e sancionada pelo Vice-prefeito em exercício Said Fadel Fadel.

Letra do Hino é de autoria do Dr. Victor Rodrigues Machado
Adaptação da Professora Cely Pasquotto Bellotto

Hino de Laranjal Paulista
Oh meu bom torrão natal
Que eu amo de coração
No mundo não há igual
És tu somente tu, Laranjal
Refúgio à minha solidão

Quem não sente a poesia
Desta terra Gloriosa
Esta voz doce e macia
Dá-nos uma grata alegria
De uma donzela formosa

As estrelas no céu
Cintilam resplandecendo o meu torrão
Pequeninas gentis
Rutilam perdendo-se na imensidão

Quem a poesia não sente
Que reina sobre este céu de anil
És tu Laranjal querida
Cantinho do meu Brasil

LEI Nº 2.578, DE 14 DE JUNHO DE 2007 institui o Dia da Bandeira, a ser comemorado anualmente no dia 05 de fevereiro, data de aniversário do criador da Bandeira e do Brasão do Município de Laranjal Paulista, o Professor João José da Silveira Campos, Professor Tutu.  A lei foi sancionada e promulgada pelo então prefeito  Roberto Fuglini e é  de autoria do vereador Marcelo Alessandro Contó.

Comments are closed